HISTÓRICO

 

 

Na década de 1970 o Vale do Jequitinhonha vivenciou um período de intensas mudanças políticas, sociais, culturais e econômicas. Impulsionada pelos incentivos governamentais, as monoculturas de eucalipto se alastraram pelo Vale, o que fez com que os agricultores (as) fossem encurralados nas suas grotas pela tomada das áreas de uso comum (chapadas) pelo eucalipto. Era os efeitos da chamada “Revolução Verde”. A região sentia os impactos das técnicas insustentáveis de produção, a água para consumo humano e fins produtivos se torna um bem cada vez mais escasso, além da mudança de hábitos alimentares e comerciais pela maior incidência do comércio de produtos industrializados. Fatores estes que dificultaram o desenvolvimento e escoamento da produção. Tudo isso se agrava pela falta de políticas públicas direcionadas a agricultura familiar. A migração torna-se a principal alternativa para a sobrevivência dos (as) agricultores (as) na região.

Buscando uma saída para tais problemas, os agricultores (as) organizados através do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Turmalina, com apoio da Igreja Católica e Organizações não Governamentais da época, fundam o Centro de Agricultura Alternativa Vicente Nica, em 1994, como uma associação da sociedade civil sem fins lucrativos. 

Para encontrar uma “resposta” aos desafios enfrentados pela população rural, o CAV busca aliar os conhecimentos técnicos acadêmicos com o saber e a vivência dos agricultores, e conjuntamente implementam metodologias e alternativas para desenvolver de forma sustentável a agricultura familiar da região. São desenvolvidas assim ações no tocante à recuperação de solos degradados, produção agroecológica, difusão de tecnologias sociais para acesso e gestão dos recursos hídricos, geração de emprego e renda norteados por princípios associativistas e cooperativistas através da economia popular solidária e a promoção de uma maior equidade nas relações sociais de gênero.

 

Quem foi Vicente Nica

Vicente Nica foi um camponês nascido em 10 de julho de 1932, na grota do Barreiro, filho de Antônio Gonçalves Afonso e Maria Alves Azevedo. Apesar de não ter estudado era líder dos camponeses do Vale do Jequitinhonha, área em que a posse, individual e coletiva, resistia contra a invasão de falsos fazendeiros. Desde que abriu seu situ nas terras posteriormente reivindicadas pelos grileiros (pessoa influente e de posses) da fazenda Mato Grande e São Miguel, Vicente Nica sempre esteve à frente das lutas travadas pelos situantes da região. De fé pentescostal, na década de 70, aproximou-se dos movimentos da Igreja Católica e aprofundou sua militância. Em 1982 candidatou-se a Deputado Federal pelo Partido dos Trabalhadores, obtendo 5 mil votos, só deixando de ser eleito devido à falta de alianças com outros partidos políticos. Com esta experiência, desenvolveu um entendimento perfeito e acabado da situação do campo brasileiro. Vicente Nica também desenvolvia suas técnicas de manejo do solo e proteção ao meio ambiente. Vicente Nica faleceu um ano antes da criação do CAV, sendo o nome do centro uma homenagem à sua memória.

 

Fonte: Vicente fala: Uma Mão na Terra Outra no Coração/1993.

 


 
Rua São Pedro, 43 - Campo - CEP: 39.660 - 000
Turmalina - Vale do Jequitinhonha
Minas Gerais - Brasil
(38) 3527 1401/1658
comunicacao@cavjequi.org
Institucional:
webmail
Intranet