NOTÍCIA
  Publicada em 27/07/2017  
  Turmalina sedia o seminário sobre Impactos Ambientais no Alto Jequitinhonha

Mesa de aberturaCom o objetivo de discutir o atual contexto ambiental da região, a Rede de Parcerias de Turmalina (MG) realizou no dia 04 de julho de 2017 o seminário “Impactos Ambientais no Alto Jequitinhonha: Reflexão e Construção em Rede”. O evento contou com a presença de cerca de 300 participantes de 20 municípios, dentre eles agricultores (as) familiares, estudantes, representantes do poder público e de organizações sociais, além de membros da sociedade civil. 

O seminário foi iniciado com apresentações da cultura popular do Vale através da música do artista Willer Lemos de Minas Novas e do teatro do grupo JOV (Jovens Organizando a Vida) da comunidade Morro Redondo de Turmalina. Para dar as boas-vindas aos presentes foi composta uma mesa de abertura com a presença de representantes das organizações anfitriãs do município, sendo elas a Rede de Parcerias, a Prefeitura e Câmara Municipal e a promotoria de Justiça da Comarca de Turmalina. Também compuseram a mesa representantes da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário de Minas Gerais (SEDA), da Empresa de Pesquisa em Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) e do Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN), de Brasília. Esta mesa enfatizou a importância do evento como ponto de partida na construção coletiva das possíveis soluções que possibilitarão minimizar os impactos ambientais da região do Alto Jequitinhonha.

A Câmara Municipal de Turmalina apresentou o estudo de caso que realizou sobre a realidadePúblico Hídrica do município, com pesquisa feita em 48 comunidades. Foi detectado que das 412 nascentes de água que existiam no passado, 368 secaram, correspondendo a 89,3% do total. A pesquisa apontou alguns dos causadores deste fato, dentre eles à supressão das matas ciliares, o acesso livre do gado aos leitos dos rios e as áreas de nascentes e a monocultura de eucalipto desrespeitando as veredas das nascentes. Também foi apresentada uma pesquisa realizada pelo Núcleo de Pesquisa e Apoio à Agricultura Familiar Justino Obers (Núcleo PPJ/UFMG) na região da comunidade rural de Boa Vista (Turmalina), onde foi detectado a diminuição significativa da vazão do ribeirão e os principais fatores que contribuíram para isso.

A experiência da Rede de Parcerias e do CAV também foi apresentada. Estas duas organizações já realizaram a implementação de ações em comunidades rurais próximas à Beira do Rio Fanado de Turmalina de forma a contribuir para minimizar os efeitos dos impactos ambientais nesta região. Dentre estas cita-se a construção de tecnologias de captação e armazenamento de água da chuva (barraginha e bacias de contenção), capacitações para a gestão dos recursos hídricos, entre outros. Também foi apresentado um vídeo com experiências de sucesso em Turmalina e Veredinha a partir de ações apoiadas pela iniciativa Satoyama. A plenária teve a oportunidade de fazer comentários e perguntas aos expositores após as apresentações.

Apresentação dos trabalhos em gruposCom o objetivo de debater a realidade exposta e propor alternativas mitigadoras destes efeitos, os participantes foram distribuídos em grupos de trabalho de acordo com suas representações. Estes grupos registraram os principais desafios enfrentados, possíveis ações socioambientais viáveis, os atores estratégicos neste contexto e discutiram sobre como as intervenções podem ser monitoradas. Ao final do debate, cada grupo apresentou para a plenária e para a mesa final as principais questões e encaminhamentos elencados. Esta mesa foi composta por representantes do Núcleo PPJ, do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM), da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (EMATER / Regional de Capelinha), do Instituto Estadual de Florestas (IEF), da Companhia de Saneamento Básico de Minas Gerais (COPASA/Turmalina) e da assessoria do Governo do Estado / Conselho Pró-Pequi. Estes representantes, além de debaterem a proposta dos grupos, contribuíram com encaminhamentos.

Caboclinhos

O encerramento do seminário foi também marcado pela cultura popular do Vale. Com a colaboração de Gilmar Souza e Ildeu Viana, o grupo folclórico “Os Caboclinhos” fez sua apresentação dando mostras da riqueza cultural do município de Turmalina.

Todas as propostas dos grupos e os encaminhamentos do evento serão sistematizados em um documento síntese que estará disponível no site do CAV ainda no mês de agosto. Este documento será encaminhado aos participantes do evento e apresentado às diversas autoridades competentes em nível municipal, regional e estadual com a finalidade de se construir um plano de ação a partir das propostas construídas no seminário.

 

Por Fabiana Eugênio, Josiane Fernandes e Valmir Soares

Fotos: Duarth Fernandes

 
Seu nome Seu email
Nome do amigo(a) Email do amigo(a)
 
Rua São Pedro, 43 - Campo - CEP: 39.660 - 000
Turmalina - Vale do Jequitinhonha
Minas Gerais - Brasil
(38) 3527 1401/1658
comunicacao@cavjequi.org
Institucional:
webmail
Intranet