NOTÍCIA
  Publicada em 09/03/2018  
  Motivação e intercâmbio marcam o processo de avaliação anual qualitativa do CAV

GACom o objetivo de avaliar a qualidade do serviço prestado pelo CAV em 2017 e o seu impacto na vida das famílias rurais, um grupo formado por agricultores (as), parceiros e sócios da instituição foram a campo para entrevistar famílias beneficiárias das ações. As visitas aconteceram entre os dias 27/02 e 01/03/2018 em comunidades dos municípios de Chapada do Norte, Minas Novas, Turmalina e Veredinha (MG). 

O grupo de avaliadores (GA) foi composto por 05 representantes de organizações parceiras locais, 04 beneficiários (as) diretos das ações e 03 sócios e/ou diretores do CAV, sendo estes, dos municípios acima citados, como também de Leme do Prado.  Uma oficina preparatória foi realizada com estes colaboradores no dia 22 de fevereiro, quando foi discutida a metodologia da avaliação, o perfil dos entrevistados e construído o cronograma das visitas.

Para as atividades de campo, os avaliadores (as) foram divididos em equipes de 03 pessoas, sendo que cada uma realizou visitas a duas famílias. Para incentivar o intercâmbio de experiências, a maioria dos avaliadores (as) não visitaram famílias do seu município de origem.

Grande parte dos beneficiários (as) entrevistados foram selecionados a partir do grupo de famílias que se dispuseram a participar do processo de monitoramento da instituição, ou seja, são agricultores (as) que realizam registros do que produzem, os custos e o destino desta produção. Estas informações são repassadas ao CAV regularmente e têm sido de fundamental importância para a avaliação quantitativa dos trabalhos. Assim, as entrevistas realizadas anualmente através do GA vêm complementar esta avaliação, dando a dimensão do efeito e da qualidade do serviço prestado.

As entrevistas tiveram como foco principal o acesso e gestão da água, a produçãoGAagroecológica e a geração de renda, mas abordaram também outras temáticas, como influência nas políticas públicas, questões ambientais, relações sociais de gênero, organização comunitária, entre outras.

O grupo de avaliadores teve um papel fundamental no processo. Além de realizar as entrevistas, ele analisou a metodologia de ação junto aos beneficiários, os avanços e dificuldades encontradas e teve a liberdade de dar sugestões para o aperfeiçoamento do trabalho. Além disso, a metodologia utilizada pelo GA, que já é realizada há vários anos, sempre traz novos olhares sobre os resultados alcançados em campo e colabora para o aprimoramento das estratégias adotadas.

Ao final de uma das visitas, o agricultor André Pereira Dias, de Turmalina, afirmou: “Foi muito valiosa essa experiência de ter ido pela primeira vez nestas visitas. Para mim foi muito importante porque além de ter visto a importância do CAV na vida das famílias, fui em lugares que nunca tinha ido e conheci novas pessoas. Esse trabalho tem que continuar”.

Até o mês de abril as informações desta avaliação serão sistematizadas e o seu resultado será incorporado aos relatórios anuais dos diversos parceiros financiadores da instituição. Este resultado também será devolvido ao grupo de avaliadores e servirá de subsídio para aperfeiçoamento e a elaboração de novos projetos.



Por Fabiana Eugênio

CAV/Turmalina

 

 

 
Seu nome Seu email
Nome do amigo(a) Email do amigo(a)
 
Rua São Pedro, 43 - Campo - CEP: 39.660 - 000
Turmalina - Vale do Jequitinhonha
Minas Gerais - Brasil
(38) 3527 1401/1658
comunicacao@cavjequi.org
Institucional:
webmail
Intranet